06 e 07 de abril de 2017 – Auditório Fernando de Mendonça (LIT)

INPE, São José dos Campos, SP

PALESTRA CONVIDADA – Apresentação do Diagnóstico sobre Metodologias para Análise de Cenários e Modelagem em Biodiversidade do IPBES

Palestrante: Dr. Jean Paul Metzger
http://lattes.cnpq.br/3873580432710177

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1988), mestrado em Ecologia pela Universidade Paul Sabatier de Toulouse (França) (1992) e doutorado em Ecologia de Paisagens pela mesma Universidade (1995). Atualmente é professor titular do Departamento de Ecologia da Universidade de São Paulo, membro do corpo editorial da Landscape Ecology, editor-chefe da Natureza e Conservação, e assessor de diversas revistas e fundações de apoio à pesquisa. De 2012 a 2016 coordenou o Programa de Pós-Graduação em Ecologia da USP. É membro do Comitê Científico do Programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração (PELD) do CNPq. Foi vice-presidente (2011-2014) da International Association for Landscape Ecology (IALE) e primeiro presidente da seção brasileira da IALE. Atua junto à Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos nos diagnósticos temáticos de modelos e cenários, degradação e restauração, assim como no diagnóstico regional das Americas. Tem experiência na área de Ecologia de Paisagens e Conservação, com ênfase no estudo de paisagens fragmentadas da Mata Atlântica, atuando principalmente com temas relacionados à conservação da biodiversidade em paisagens fragmentadas, conectividade biológica e restauração numa perspectiva de paisagem. Mais recentemente, trabalha com temas ligados à modulação pela estrutura da paisagem de serviços ecossistêmicos. Ao longo dos últimos anos, tem participado ativamente na discussão (e no embasamento científico) de políticas públicas de conservação.

Resumo: O Prof. Jean Paul Metzer apresentará uma síntese de um dos produtos da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas (IPBES): o relatório Diagnóstico das Metodologias para Cenários e Modelagem em Biodiversidade, que oferece diretrizes para o uso de cenários e modelos na elaboração de diagnósticos sobre o status da biodiversidade nas diversas regiões do globo.  O relatório  foi produzido por uma equipe de 80 pesquisadores vinculados à IPBES com base em uma revisão da literatura científica sobre cenários, modelos e suas potencialidades. A apresentação do Dr. Metzer no contexto do Workshop de Aplicações do LuccME visa, portanto, fomentar a discussão sobre os diferentes tipos de cenários que podem ser representados por modelos computacionais, com diferentes objetivos – em especial como instrumento de apoio à tomada de decisão.

 

PALESTRA CONVIDADA – Histórico do TerraME e perspectivas da modelagem das interações homem-ambiente

Palestrante: Dr. Tiago Carneiro
http://lattes.cnpq.br/4579376264162079

Possui bacharelado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Ouro Preto (1995), mestrado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997) e doutorado em Computação Aplicada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (2006). Atualmente, é professor adjunto do Departamento de Computação da UFOP. Atua nos cursos de graduação e mestrado em Ciência da Computação e no mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais. É coordenador dos convênios de cooperação tecnico-cientifica para pesquisas e desenvolvimentos em geoinformatica e em modelagem dos sistemas terrestres firmados entre UFOP e INPE (2007-2012), e entre UFOP e o Instituto de Geoinformática (IFIG) da Universidade de Munster, Alemanha (2010-2015). É membro ativo da Rede Tematica de Pesquisa em Modelagem Ambiental na Amazônia (GEOMA/MCT) e da Rede para Desenvolvimento de Modelos Matemáticos para Aplicação no Controle da Dengue (PRONEX/FIOCRUZ). É colaborador no projeto de software livre TerraLib (www.terralib.org) e autor da arquitetura de software para modelagem ambiental TerraME (www.terrame.org). Desde 2007 é revisor do periódico internacional “Ecological Modelling”, Elsevier, e do Simposio Brasileiro de Geoinformática – GeoInfo.

Resumo:  Na palestra, o Dr. Tiago Carneiro, professor do Departamento de Computação da Universidade Federal de Ouro Preto, iniciará sua palestra com uma perspectiva histórica sobre o desenvolvimento do TerraME – ambiente de modelagem dinâmica espacialmente explícita no qual é desenvolvido o LuccME. O TerraME é fruto da tese de Doutorado do Dr. Tiago, defendida no INPE em 2006, sob orientação dos Dr. Gilberto Câmara e Antônio Miguel Monteiro. São as facilidades oferecidas pelo TerraME que possibilitam o desenvolvimento do LuccME. O TerraME possui funções que facilitam o desenvolvimento de modelos em diferentes escalas e paradigmas, suportando o desenvolvimento e combinação de diferentes tipos de modelos, incluindo autômatos, celulares, modelagem baseada em agentes e modelos de redes. Na segunda parte da palestra, o Dr. Tiago apresentará sua visão sobre o futuro da modelagem das interações homem-natureza, tema central para a Ciência do Sistema Terrestre.

 

SESSÃO 1 – Desmatamento e seus impactos na biodiversidade e emissões GEE

Amazônia Boliviana
Palestrante: Graciela Tejada (PGCST)
http://lattes.cnpq.br/4560868650221429

Resumo: As florestas tropicais na América do Sul desempenham um papel fundamental na prestação de serviços ecossistêmicos como sumidouros de carbono, conservação da biodiversidade e regulação climática global. Nas décadas anteriores, as florestas bolivianas foram principalmente desmatadas pela expansão do desenvolvimento das fronteiras agrícolas, impulsionadas pelas crescentes demandas de carne bovina e outras produções. Neste contexto, será exposta uma abordagem inovadora de modelagem do uso da terra para simular como a crescente demanda por terras pode afetar as futuras tendências de desmatamento na Bolívia e gerar três diferentes cenários de desmatamento para 2050.

 

Amazônia Brasileira
Palestrante:Dra. Ana Paula Aguiar (CCST)
http://lattes.cnpq.br/5810427753185619

Resumo: Serão apresentados os resultados do projeto AMAZALERT, no foram construídos cenários espacialmente explícitos para a Amazônia Brasileira em células de 25 x 25 km2 para o período 2014-2050, utilizando uma abordagem qualitativa-quantitativa. Os cenários foram utilizados, no escopo do projeto AMAZALERT, como entrada para estudos com modelos climáticos, de vegetação dinâmica e hidrológicos. Os resultados do LuccME foram também utilizados como entrada para o modelo espacialmente explícito de estimativas de emissões INPE-EM, para estimar o balanço regional de CO2 até 2050.

 

Amazônia e Cerrado
Palestrante:Dr. Elói Dalla-Nora (CCST)
http://lattes.cnpq.br/5148061251643365

Resumo: O desmatamento nos trópicos é historicamente uma das maiores causas da perda de biodiversidade e emissões de carbono em nível mundial. Uma série de modelos tem sido proposta para explorar tendências futuras de desmatamento, especialmente na Amazônia. Entretanto, nenhum destes modelos conseguiu capturar de forma plausível a trajetória geral de mudança da cobertura da terra observada nesta região durante a última década. Neste caso, uma abordagem de modelagem alternativa deveria ser adotada para explorar interações entre escalas como a demanda mundial por recursos e as regulamentações de uso da terra. Assim, buscar-se-á apresentar uma abordagem de modelagem de uso da terra inovadora para a Amazônia, que permite simular como a demanda mundial por commodities agrícolas e diferentes políticas regionais de uso da terra podem afetar as tendências futuras de desmatamento dentro e fora da Amazônia, com especial atenção para os efeitos de deslocamento de demanda sobre o Cerrado.

 


SESSÃO 2 – Impactos da Intensificação/Expansão agrícola e efeitos das mudanças climáticas

Agricultura no Cerrado e os efeitos no balanço de nitrogênio
Palestrante: Luciene Gomes (PGCST)
http://lattes.cnpq.br/9568322316333194

Resumo: O Brasil tem experimentado significativas transições do uso da terra nas últimas décadas devido à intensificação e expansão da agricultura, em resposta à demanda dos mercados por alimentos e biocombustíveis. Isto tem ocorrido principalmente no bioma Cerrado apoiado pela agricultura mecanizada, proximidade aos centros consumidores e infraestrutura melhorada. Consequentemente, a intensificação e a expansão agrícola têm papel fundamental no suporte e crescimento econômico do país, no entanto, ela pode modificar, de diversas formas, o ciclo biogeoquímico do nitrogênio. Essas mudanças poderão se refletir na sustentabilidade dos solos e poluição ambiental e, em última instância, na prosperidade econômica e segurança alimentar. Neste contexto, para investigar como a intensificação e expansão agrícola têm impactado o ciclo do nitrogênio no Cerrado brasileiro, será apresentado um balanço de nitrogênio espacialmente explícito com base na modelagem de uso da terra observada no período 2002-2010 levando em consideração os principais usos agrícolas brasileiros.

 

Mudanças de uso da terra no NE e impactos no processo desertificação
Palestrante:Dra. Rita Márcia (CCST)
http://lattes.cnpq.br/9540472885623036

Resumo: Cerca de 57% da superfície da região Nordeste é caracterizada por clima semiárido. A região tem sido submetida ao uso intensivo da terra nos últimos séculos, levando a uma severa degradação dos seus recursos naturais e à desertificação. Assim sendo, a palestra apresentará uma abordagem utilizada para identificar áreas com maior potencial a desenvolver o processo de degradação/desertificação, além da modelagem  de  mudanças  de  uso  da terra com  a  finalidade  de  gerar  cenários  de mudanças  de  uso  da  terra  e,  posteriormente,   de     susceptibilidade    à degradação/desertificação até o ano de 2040.

 

Degradação do solo e a expansão da cana-de-açúcar no Estado de São Paulo
Palestrante:Dra. Grasiela Rodrigues (CCST)
http://lattes.cnpq.br/0181025592764714

Resumo: O solo é um componente chave para o funcionamento do Sistema Terrestre e encontra-se na superfície do planeta onde dão-se as interfaces entre a atmosfera, Pedosfera, biosfera e litosfera. No entanto, este recurso vem sofrendo pressões antrópicas que conduzem ao aumento das áreas degradadas e, consequentemente, abandonadas em regiões anteriormente produtivas. Será apresentada uma abordagem complementar entre estimava das taxas de perda de solo para o Estado de São Paulo e criação de um modelo de expansão da cana-de-açúcar capaz de simular a expansão da área cultivada com cana-de-açúcar para o Estado de São Paulo utilizando o arcabouço de modelagem LuccME.

 


SESSÃO 3 – Aplicações inovadoras

Expansão de condomínios no litoral de Santa Catarina
Palestrante: Daniel Cohenca (IBAMA)
http://lattes.cnpq.br/5200952719332510

Resumo: Nas três últimas décadas, como resultado de diversos vetores de ocupação, a paisagem da zona costeira sul de Santa Catarina se alterou de maneira acentuada. Considerando a ocupação e uso do solo como processos que seguem padrões vinculados ao contexto histórico e às características naturais e humanas de uma região. Na palestra, abordará os a relação dos vetores de mudança de uso e cobertura da terra, que atuam em diferentes padrões de ocupação em termos de modelo social e produtivo no uso da terra. Além da modelagem de cenários de ocupação futura e identificação de áreas com maior potencial de conservação em dois municípios desta região: Passo de Torres e Balneário Gaivota.

 

Processo de desertificação no Semiárido do NE do Brasil
Palestrante:Dr. Gilney Bezerra (CCST)
http://lattes.cnpq.br/1565640401714398

Resumo: A desertificação é um problema de escala global que aflige, principalmente e diretamente, o desenvolvimento das regiões secas do planeta. No semiárido do Nordeste brasileiro, a exploração intensiva e abusiva dos recursos naturais, principalmente pela agropecuária, ao longo dos tempos, associada a características ambientais e climáticas particulares e aspectos socioeconômicos limitantes, atuam como facilitadores do desencadeamento do processo de degradação/desertificação. Modelagem   espacialmente   explícita   dos   fatores   determinantes da mudança de uso e cobertura da terra é uma ferramenta importante no estudo do processo de degradação/desertificação. Determinar a relação  entre fatores e mudanças é primordial para o entendimento de mecanismos capazes de subsidiar o  combate  e/ou  mitigação  dos  efeitos  da  desertificação. Assim, será apresentado um modelo espacialmente explícito capaz determinar a  localização,  a  intensidade  e  a  direção da  mudança  das  áreas  com cobertura  vegetal degradada como  “proxy”  da degradação/desertificação  no semiárido nordestino.

 

Expansão de parques eólicos no NE
Palestrante:André Rodrigues (CCST)
http://lattes.cnpq.br/0304036440634904

Resumo: A distribuição geográfica dos parques eólicos sobre o território é um fator chave para integrar esta fonte de energia variável no sistema elétrico. Nesta palestra será apresentado um modelo de alocação espacial para prever a evolução de parques eólicos no Nordeste do Brasil, com saída de variáveis ​​biofísicas e calibrado com dados reais de parques eólicos. O objetivo é fornecer uma visão da evolução espacial da matriz energética brasileira para as próximas décadas de acordo com as regras atuais, apresentando uma ferramenta para estudos de scenariodriven sobre o uso ótimo de recursos eólicos no Brasil.

 

Malária em Rondônia
Palestrante:Dra. Jussara Angelo (FIOCRUZ)
http://lattes.cnpq.br/0590217220934956

Resumo: Em pleno século XXI a malária continua sendo uma das endemias de maior magnitude no mundo. No Brasil, a malária está concentrada na região Amazônica onde ocorrem 99% dos casos. A malária é uma doença que envolve diversas dimensões da realidade apresentando uma distribuição espacial heterogênea, definida de forma geral por diversas características e processos territoriais que estão envolvidos na produção desta endemia, tais como densidade vetorial, dinâmica demográfica, processo de ocupação, implantação de projetos econômicos de mineração e de energia, mudanças de uso e cobertura da terra e a capacidade dos serviços de saúde em controlar a doença. Neste contexto, serão analisados os determinantes sociais e ambientais da malária no município de Porto Velho, no período 2010-2012, bem como,  o modelo espacial dinâmico para essa endemia.

 


SESSÃO 4 – O futuro do LuccME e do TerraME

Novas funcionalidades TerraME
Palestrante: Dr.Pedro Andrade (CCST)/Dr.Miguel Monteiro(OBT)
http://lattes.cnpq.br/5200952719332510

http://lattes.cnpq.br/0654596992211296

Resumo: As novas funcionalidades e perspectivas de curto e médio prazo do TerraME serão apresentadas e discutidas com os usuários.

 

Novas funcionalidades LuccME
Palestrante:Talita Assis/Diego Melo (CCST)
http://lattes.cnpq.br/9839053937681580

http://lattes.cnpq.br/3274367351140552

Resumo: As novas funcionalidades e perspectivas de curto e médio prazo do LuccME serão apresentadas e discutidas com os usuários.

 

LuccME/BR
Palestrante: Dr.Eloi Dalla-Nora/Dr.Gilney Bezerra
http://lattes.cnpq.br/5148061251643365

http://lattes.cnpq.br/1565640401714398

Resumo: Iremos apresentar o projeto institucional do CCST na área de modelagem de uso da terra, integrando um modelo espacialmente explícito para o Brasil a modelos econômicos globais. Esta estratégia vai permitir simular como o crescimento econômico e demográfico pode impactar a demanda global por commodities agrícolas, e particularmente, a dinâmica do uso da terra no Brasil – e como políticas regionais interagem com essa demanda. A partir do arcabouço de modelagem proposto espera-se construir um conjunto de cenários normativos (“target-seeking”), combinando métodos qualitativos/participativos e quantitativos, buscando explorar trajetórias para a sustentabilidade, considerando as dimensões econômicas, ambientais e sociais.